Discursivas de Juiz Leigo

R$ 49,90
R$ 39,90
ou 3 x R$ 13,30
. Comprar  
47 Questões de provas discursivas de JUIZ LEIGO – inclui 34 questões acompanhadas do espelho de resposta oficial da banca examinadora.
 
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO DE NOVAS QUESTÕES: ABRIL DE 2020
 
E-Book em PDF – É permitida a impressão.
 
GRÁTIS - Atualizações de questões novas por 01 ano da data da compra.
 
O envio é feito por e-mail - 02 dias úteis (cartão de crédito ou débito) ou 03 dias úteis (boleto bancário).
 
Meios de Pagamento: PAGSEGURO ou PAYPAL – cartão de crédito, cartão de débito ou boleto bancário.
 
ATENÇÃO ! – Não são todas questões discursivas que acompanham o espelho de resposta da banca examinadora, somente aquelas que a banca disponibilizou, o que não ocorre em todos concursos. Caso tenha provas ou espelhos que não constam em nosso banco de dados, entre em contato que compramos e trocamos.
 
Dúvidas – questoesdiscursivas@gmail.com
 
Exemplos de questões discursivas:

Juiz Leigo - Concurso: TJPR - Ano: 2013 - Banca: TJPR - Disciplina: Direito do Consumidor - Assunto: Código de Defesa do Consumidor - Qual a relevância da vulnerabilidade no conceito de consumidor final, sob o prisma maximalista e minimalista? Justifique fundamentadamente.
 
- Resposta: De suma relevância a presunção de vulnerabilidade do consumidor, para fins interpretação do que seja “destinatário final” previsto no art. 2º do CDC, atraindo posicionamento maximalistas oi minimalistas. Os maximalistas classificam como consumidor final aquela que tenha autuado como consumidor fático do bem de consumo seja pessoa física ou jurídica, com objetivo ou não de lucro quando adquire o produto. Já os minimalistas definem consumidor final como o destinatário final fático e econômico do bem de serviço, ou seja, não basta consumir de fato o bem, mas também com beneficio econômico, o que afastaria aquele que adquire para revenda ou para uso profissional, por transformar-se o bem em insumo na produção de preço incluído no preço profissional que o adquiriu. A exegese minimalista é restritiva, ao passo que a maximalista é ampliativa. A vulnerabilidade neste contexto junto com a noção de consumidor imediato assume relevância na definição de consumidor final, desaguando, segundo iterativa jurisprudência do STJ, no que se denomina “finalismo aprofundado”. Nessa linha, a vulnerabilidade é peça fundamental da definição, devendo ser analisado no caso concreto, se há vulnerabilidade ou não que autorize a classificação como destinatário final, a qual é de três ordens: técnica, jurídica, fática (ou socioeconômica) e informacional. Essa valoração permite, em casos concretos, definição de consumidor àquele profissional que adquire bem, mesmo que para utilização na atividade profissional.

 
Veja também