Questões de Prova Discursiva da banca IESES

R$ 59,90
R$ 49,90
ou 3 x R$ 16,63
. Comprar  
65 Questões de provas discursivas da banca IESES – inclui 56 questões acompanhadas do espelho de resposta oficial da banca examinadora.
 
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO EM MAIO DE 2019
 
E-Book em PDF – É permitida a impressão.


Excelente material para analisar o histórico de provas discursivas anteriores aplicadas pela banca, formato das questões, assunto mais cobrado, nível de dificuldade, temas mais repetidos, etc....
  
GRÁTIS - Atualizações de questões novas por 01 ano da data da compra.
 
O envio é feito por e-mail - 01 dia útl (cartão de crédito ou débito) ou 02 dias úteis (boleto bancário).
 
Meios de Pagamento: PAGSEGURO ou PAYPAL – cartão de crédito, cartão de débito ou boleto bancário.
 
ATENÇÃO ! – Não são todas questões discursivas que acompanham o espelho de resposta da banca examinadora, somente aquelas que a banca disponibilizou, o que não ocorre em todos concursos. Caso tenha provas ou espelhos que não constam em nosso banco de dados, entre em contato que compramos e trocamos.

 
Dúvidas – questoesdiscursivas@gmail.com
 
Exemplos de questões discursivas:


Notário - TJCE - Ano: 2018 - Banca: IESES - Disciplina: Direito Notarial - Assunto: Direito Notarial - Indique obrigatoriamente ao menos 5 das despesas que o FERMOJU tem por finalidade suprir a bem do Poder Judiciário, segundo a Lei 14.605/2010, e se dentre estas pode estar o pagamento de despesas de custeio previstas na folha normal de pessoal. Em seguida, descreva, outrossim, 2 das fontes de custeio do mesmo Fundo consoante disciplina a mesma Lei (NÃO consideradas como receitas aquelas hipóteses descritas no parágrafo único do art. 3o. da Lei 14.605/2010).
 
- Resposta: O FERMOJU tem por finalidade suprir o Poder Judiciário de recursos para fazer face às despesas com: I – a elaboração e execução de planos, programas e projetos para o desenvolvimento e a descentralização dos serviços judiciários previstos no §3° do art.4° da Constituição Estadual; II – a implantação de moderna tecnologia de controle da tramitação dos feitos judiciais, notadamente com uso de informática, microfilmagem e reprografia, visando a obtenção de maior celebridade, eficiência e segurança dos procedimentos judiciais; III – ampliação de instalações, com aquisição de equipamentos e mobiliário, e reformas de prédios, ressuprimento de materiais permanentes específicos e eventuais contratações de serviços de manutenção e reparos; IV – implementação dos serviços de informatização da Justiça de primeiro grau; V – produção, veiculação e divulgação de matérias oficiais de interesse do Poder Judiciário; VI – aquisição de livros e publicações de técnicas necessárias à execução dos serviços jurisdicionais; VII – aporte de recursos financeiros para subsidiar os Cartórios de Registro Civil na prestação gratuita dos serviços indicados na Lei Federal nº9.534, de 10 de dezembro de 1997; VIII – demais itens de despesas classificados como outras despesas correntes relativas à manutenção e ao funcionamento das atividades meio e fim do Poder Judiciário. E, Não serão admitidas, por conta do Constituem receitas do FERMOJU: I - 100% (cem por cento) da arrecadação da taxa judiciaria devida nos termos do art.68 e §1° da Lei n°9.771, de 6 de novembro de 1973; II – 5% (cinco por cento) das receitas de custas judiciais dos cartórios do foro judicial, não se aplicando o disposto neste item aos de Assistência Judicial; III - 5% (cinco por cento) dos emolumentos de protestos, escrituras e registros públicos; IV – taxas de realização de cursos, seminários, conferências e outros eventos promovidos pela Escola Superior da Magistratura; V – taxas de inscrição em concursos públicos realizados pelo Poder Judiciário; VI – saldos de exercícios financeiros anteriores; VII – créditos consignados no orçamento do Estado e em leis especiais; VIII – o produto da renumeração oriunda de aplicações financeiras; IX – subvenções, doações e auxílios oriunda de organismos públicos e privados, nacionais e internacionais, aceitos por Resolução do Tribunal Pleno e afetos aos fins do FERMOJU; X – outras receitas eventuais, inclusive provenientes da alienação de bens patrimoniais afetos do Poder Judiciário. 


Advogado - SEGÁS - Ano: 2017 - Banca: IESES - Disciplina:  Direito Processual Civil - Assunto: Novo CPC -  No mês de março de 2016 entrou em vigor a lei 13.105/2015, denominada de Novo Código de Processo Civil Brasileiro. Esse documento fez algumas alterações para o então conhecido mundo jurídico processual Brasileiro e inovou ao trazer a aplicação das normas fundamentais com o foco constitucional, o que modernizou de sobre maneira a rotina processualística em nosso País. Criticada por alguns e elogiada por outros, as novas normas processuais representam uma realidade vigente e pulsante no nosso ordenamento jurídico. Outra característica a ser evidenciada é a sua natureza principiológica, a qual ocupa os primeiros artigos de sua estrutura então codificada. Assim sendo, faça uma redação acerca dos princípios norteadores do Novo Código de Processo Civil Brasileiro.  

Analista - TRE-MA - Ano: 2015 - Banca: IESES - Direito Eleitoral - Direito Eleitoral -  Um tema de ampla repercussão Nacional é o da responsabilidade fiscal dos governantes e sua possível responsabilização, inclusive com a perda do mandato. Daí temos a seguinte afirmação em um jornal de circulação nacional: “Responsável por velar pela acuidade das contas públicas, o Tribunal de Contas da União (TCU) anunciou que há indícios de que o Governo cometeu crime de responsabilidade fiscal ao ‘maquiar’ as contas federais – pagando despesas com dinheiro de bancos públicos, por exemplo –, numa estratégia conhecida como ‘pedalada’. ” O programa da Prova de Conhecimentos Específicos estabelece, entre outras matérias: DIREITO CONSTITUCIONAL: Fiscalização contábil, financeira e orçamentária. Tribunal de Contas da União (TCU). DIREITO ADMINISTRATIVO: Poderes e deveres da Administração Pública: Dever de agir. Dever de eficiência. Dever de probidade. Dever de prestação de contas. Uso e abuso do poder. DIREITO ELEITORAL: Arrecadação e aplicação de recursos nas campanhas eleitorais: vedações inerentes e sanções. Prestação de contas de campanha. Agentes públicos em campanha. Abuso de poder e corrupção no processo eleitoral. A partir das matérias acima destacadas do programa e da afirmação transcrita de jornal de circulação nacional, elabore uma redação sobre a responsabilidade fiscal e suas consequências para os Agentes Públicos em Campanha.

Notário - TJRO - Ano: 2012 - Banca: IESES - Direito Empresarial - Empresário - João Alves Morais é um reconhecido poeta e renomado pintor de tela a óleo em estilo renascentista. Seus quadros buscam inspiração em Leonardo Da Vince e já lhe renderam algumas centenas de milhares de reais. João sempre trabalha sozinho, não aceita a ajuda ou parceria de ninguém. A solidão também é sua fonte de inspiração. Pensando em sua profissionalização e na regularização de sua ocupação, João resolveu intitular-se empresário das telas. No intuito de registrar-se com empresário João procurou o Registro Público de Empresas Mercantis, mas teve seu pedido negado. Pergunta-se: a) Legalmente, quem pode ser considerado empresário em nosso País? b) Apresente o fundamento legal pelo qual João não pode ser considerado empresário.

 
- Resposta: a) O Código Civil Brasileiro, em seu Artigo. 966 define o conceito de empresário: Artigo. 966: Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. b) O Parágrafo único do Artigo. 966 do Código Civil Brasileiro aponta que NÃO se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.
Veja também